Rouba pistola a avô para matar ex-companheira em Muge (Com Fotos)

Rouba pistola a avô para matar ex-companheira em Muge (Com Fotos)

19 de Outubro, 2020 Não Por João Dinis

Um homem, com idade entre os 30 e os 40 anos, terá alegadamente roubado uma pistola ao avô, para ao início da manhã deste Domingo, 18 de Outubro, matar a sua ex-companheira com dois tiros na cabeça, numa casa do pai em Muge, concelho de Salvaterra de Magos.

De acordo com relatos no local, a vítima, com cerca de 30 anos de idade, com residência no Barreiro, estava separada do homicida há cerca de três meses, mas ainda assim, terá acedido ao pedido do seu companheiro de virem passar o fim-de-semana a casa do pai deste, trazendo também a sua filha de 5 anos de idade, sem no entanto saber que este tinha a intenção de a matar.

Segundo uma moradora na casa contígua ao local do crime, pelas 8.30 horas da manhã, terá ouvido o que parecia ser um bater na parede, sem no entanto conseguir identificar se seriam os tiros com que o homicida terminou com a vida da vítima, ou se poderia tratar-se de alguma quezília que terá originado o crime.

Quem encontrou a vítima já cadáver foi um senhor que diariamente se desloca à casa com o propósito de alimentar um cão, pois o dono da habitação encontra-se num lar há algum tempo, depois de ter sofrido de alguns problemas de saúde, a que o filho se terá demonstrado alheio, sendo este vizinho e a sua esposa, quem o ‘amparou’.

Segundo o filho do senhor que encontrou o cadáver, o pai deslocou-se à casa depois das 15 horas, com o objectivo de tratar do animal, “quando se deparou com a senhora já cadáver”.

Embora não existam certezas quanto à arma com que terá sido efectuado o crime, facto que se encontra agora também a ser investigado pela Polícia Judiciária de Lisboa, que fez deslocar ao local duas brigadas, tudo indica que o suspeito terá roubado uma pistola ao avô que utilizou depois para matar a sua ex-companheira, facto revelado pela testemunha, que nos referiu ter falado com o pai do homicida, que se encontrava a monte, mas que nas últimas horas terá sido localizado junto à sua residência, no Barreiro.

Segundo a mesma testemunha, a filha da vítima, que terá vindo com a mãe para Muge, pois foi vista por populares num café da localidade, terá sido deixada num terreno pretensa da avó materna, na Margem Sul, contrariando assim os relatos iniciais de que estaria desaparecida.

Após o alerta às autoridades, por volta das 15.15 horas, a Guarda Nacional Republicana, que se deslocou ao local, acionou de imediato a Polícia Judiciária de Lisboa, que investiga agora o crime. O óbito foi atestado pela Delegada de Saúde do concelho de Salvaterra de Magos, sendo que o corpo foi transportado para a morgue do Hospital Distrital de Santarém, pelos Bombeiros Voluntários de Benavente.

Casa onde ocorreu o crime
Polícia Judiciária de Lisboa esteve no local a investigar o crime