Turismo selvagem leva autoridades a intervir no Açude do Monte da Barca

Turismo selvagem leva autoridades a intervir no Açude do Monte da Barca

7 de Agosto, 2020 Não Por João Dinis

O Açude do Monte da Barca, no concelho de Coruche, tem sido nas últimas semanas “ocupado” por diversas pessoas e famílias, que utilizam o local de uma forma desordenada e muitas vezes perigosa.

Com as piscinas municipais a poderem ser somente utilizadas por residentes no concelho de Coruche, são muitos os forasteiros que ocupam desordenadamente e desrespeitosamente o Açude do Monte da Barca, deixando um rasto de lixo por toda a área, bem como, muitas vezes, desrespeitando as regras da Direcção Geral de Saúde para a prática da actividade em tempos da pandemia da Covid-19.

O Município de Coruche, tendo em conta todas as suas regras mitigadoras da Covid-19, solicitou já às autoridades um reforço do patrulhamento, de modo a que não se repitam as cenas verificadas nos últimos fins-de-semana, com pessoas a estacionarem os carros junto ao espelho de água, o que pode também ser um perigo, pois este espaço não se encontra vigiado por nenhum nadador salvador.

Francisco Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Coruche, referiu que esta é de facto uma situação que preocupa a autarquia, não só pelo lixo que fica no açude, ainda que vá proceder a um reforço dos contentores nas imediações da bacia de água, nomeadamente no Rebocho, bem como pela questão da pandemia da Covid-19, pela forma pouco cuidada como as pessoas circulam e praticam este tipo de turismo selvagem, apelando ao civismo das pessoas, bem como ao entendimento de todos sobre a situação que estamos a passar.

Fotografia: Direitos Reservados