Assembleia Municipal de Coruche repudia opções do Governo para investimentos no país e esquecimento da região

18 Novembro 2020, 12:24 Não Por João Dinis

Numa proposta da bancada socialista da Assembleia Municipal de Coruche, os deputados aprovaram por unanimidade uma Moção onde estes demonstram a sua “Indignação pela ausência de Coruche no mapa do Plano Nacional de Investimentos – 2030.”

Manifestamo-nos profundamente desagradados e preocupados face às opções políticas tomadas para os investimentos públicos, ao longo dos próximos anos, apresentados através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e o Plano Nacional de Investimentos 2030 (PNI 2030), pelo governo”, referem os deputados municipais na missiva aprovada, reforçando depois que se encontram “amplamente desiludidos e defraudados, pelas opções tomadas por este governo, que mais uma vez deixou de fora do Plano Nacional de Investimentos, os justos e eternamente protelados anseios da população do concelho de Coruche. De sublinhar, que esta ausência de investimentos estatais para o nosso concelho, não são responsabilidade exclusiva deste governo, outros governos e outras cores políticas, fizeram o mesmo!

Entre os investimentos que os deputados municipais consideram mais urgentes estão as ligações do IC10 e IC13, uma vez que “a travessia do Vale do Sorraia é utilizada por milhares de veículos pesados diariamente, que circulam pela caduca Estrada Nacional 114 e pelas ancestrais sete pontes, onde a circulação é obrigatoriamente alternada. Este atrofio estrutural tem causado transtornos inqualificáveis e incomensuráveis para o desenvolvimento económico deste concelho.”

Também a “a ligação de Lisboa e toda a Zona Oeste (através da Ponte Vasco da Gama) ao Alto Alentejo, continua a ser feita através das Estradas Nacionais 119 e 251, com intenso tráfego e trágicos números de sinistralidade rodoviária”, considerando estes também “importante sublinharmos ainda, a nova realidade do Parque Empresarial do Sorraia, que será drasticamente prejudicado na sua dinâmica de investimento, pelo adiamento desta importantes infraestruturas rodoviárias.

Também as áreas do Ambiente, Energia e Regadio, mereceu atenção da Assembleia Municipal, que consideram que “não deve haver concelho no país mais merecedor do investimento público, que o de Coruche”. “O trabalho realizado pelo poder local e pelos privados nestas áreas, é inquestionável e indiscutivelmente meritório.” 

Os eleitos da Assembleia Municipal de Coruche irão agora agendar reuniões com o Governo e grupos parlamentares, “de modo a que possamos sossegar e dar alento aos nossos munícipes.”