Aumento da temperatura mantém Portugal em alerta de risco de incêndio

23 Julho 2019, 22:24 Não Por Redacção

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) emitiu esta terça-feira, 23 de Julho, um alerta para o risco de incêndio elevado, que se vai manter até quinta-feira, fruto do aumento da temperatura, que se estima venha a ocorrer de entre 2 a 6 graus e a diminuição da humidade relativa, com valores mínimos, entre os 10 e 20%, bem como o vento moderado que se pode fazer sentir, com rajadas até 40 quilómetros hora, na quarta-feira.

Na quinta-feira, 25 de Julho, deverá ocorrer uma ligeira descida das temperaturas máximas, entre 2 a 6 graus, bem como uma subida da humidade relativa para valores a rondar os 35%, mantendo-se a velocidade do vento, que soprará do quadrante oeste.

De acordo com a ANEPC estas condições atmosféricas são propicias à ocorrência de incêndios florestais, pelo que as regiões do interior Norte e Centro e a região do Algarve se encontram em alerta elevado de risco de incêndio.

A ANEPC volta a alertar para a utilização de medidas preventivas por parte dos portugueses, relembrando que em risco de incêndio muito elevado ou máximo, como é o caso, é proibida a queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, está sujeita a autorização da autarquia local, devendo esta definir o acompanhamento necessário para a sua concretização, tendo em conta o risco do período e zona em causa; O uso de fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural, excepto se usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito; O lançamento de balões com mecha acesa e de foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da Câmara Municipal bem como fumigar ou desinfectar apiários excepto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.