Câmara de Coruche aprova orçamento de 27,6 Milhões de euros. Mais de 11 Milhões de euros de investimento público

Câmara de Coruche aprova orçamento de 27,6 Milhões de euros. Mais de 11 Milhões de euros de investimento público

31 Outubro 2019, 14:34 Não Por João Dinis

A Câmara Municipal de Coruche, aprovou esta quarta-feira, o orçamento para o ano 2020, que conta com um total de 27.615.403 euros, um dos maiores da região do Vale do Sorraia. A aprovação decorreu com os votos favoráveis do executivo PS e com as abstenções dos vereadores da CDU e da vereadora do PSD.

O orçamento que foi aprovado na reunião de Câmara de 30 de Outubro, conta com um total de 11.628.629 de euros de investimento público, nomeadamente a remodelação e reconstrução de infraestruturas e vias públicas, bem como a continuidade das políticas sociais e de criação de emprego levadas a cabo pelo executivo municipal.

De acordo com os dados disponibilizados pelo Presidente do município, Francisco Oliveira, na reunião, foram consideradas para a realização do orçamento apresentado pelo executivo do PS, a grande maioria das propostas apresentadas pela oposição e pelas Juntas de Freguesia.

Das 178 propostas apresentadas pela CDU foram consideradas 100 para o orçamento municipal, sendo que 12 das propostas apresentadas, as obras a executar são da responsabilidade das Águas do Ribatejo.

A nível das Juntas de Freguesia, o Biscainho apresentou 7 propostas com uma integração em orçamento de 57 %, do Couço vieram 21 propostas, sendo aprovadas 65%, Santana do Mato apresentou 25 propostas, com 60% delas a serem integradas no orçamento, a Lamarosa fez chegar ao executivo 23 propostas, vindo a ser incluídas no orçamento 57%, a Branca apresentou 33 propostas, vendo incluídas no orçamento 58% destas e a União de Freguesias de Coruche, Fajarda e Erra apresentou 59 propostas, com uma taxa de inclusão de 45%.

Taxas Municipais atentas às famílias e às empresas

Além do orçamento foram também aprovadas as taxas de IRS, IMI e Derrama para 2020, salientando o Presidente do município que vão ter aqui uma forte atenção para com as famílias e as empresas, nomeadamente a criação de empregos.

Desse modo, foram mantidas todas as taxas, vindo mesmo a existir uma ligeira baixa na taxa de IMI, fruto da inclusão de uma redução do Imposto Municipal sobre Imóveis a cobrar para as famílias com filhos, o que se irá reflectir no montante do imposto a receber pelo município.

Assim, a taxa de participação variável do IRS irá manter-se nos 3% (num máximo de 5%); o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), irá manter-se nos 0,34%, sendo que aqui irá existir uma benesse para as famílias que tenham filhos. 20 euros de benesse para quem tenha 1 filho, 40 euros para quem tenha 2 filhos e 70 euros de desconto no valor do IMI, para quem tenha 3 ou mais filhos.

As taxas a cobrar na Derrama, imposto municipal que incide sobre o lucro tributável das pessoas colectivas, irá manter-se nos 0,5% para empresas com volume de negócios até 150.000 euros e de 1%, para empresas com volume de negócios superior aos 150.000 euros.