Centro de Saúde de Samora Correia restringe ao mínimo o atendimento presencial

13 Março 2020, 17:52 Não Por Redacção

A Unidade de Saúde Familiar de Samora Correia, vulgo Centro de Saúde, emitiu esta sexta-feira, 13 de Março, uma nota de imprensa, dando conta das medidas adoptadas por esta unidade de saúde, tendo em vista o plano de contingência ao Covid-19, pandemia que começa agora a atingir o seu pico.

De acordo com a unidade de saúde estes referem que, “adiámos o mais que pudemos as medidas que agora se impõem, no sentido de manter a normalidade. Contudo, com a fase da Pandemia de COVID em que nos encontramos e tendo uma população de mais de 16.000 utentes na Unidade de Saúde, somos forçados a tomar medidas que restrinjam o contacto e a transmissão e que, assim protejam os utentes e também os profissionais de saúde de que iremos necessitar aptos e em grande número com a evolução desta situação”, anunciando assim as medidas que vão entrar em vigor a partir deste sábado, 14 de Março, mantendo-se activas até dia 13 de Abril de 2020.

Assim, de acordo com as indicações da unidade, os utentes não deverão dirigir-se à Unidade de Saúde, excepto em situações extremas, devendo os restantes contactos ser realizados por telefone ou e-mail.

A saber as medidas tomadas pela Unidade de Saúde Familiar de Samora Correia:

# Enfermagem –  mantêm-se apenas a realização de pensos, vacinação dentro do Plano Nacional de Vacinação, entrega de contraceptivos, realização de Teste do Pézinho, programa de Metadona e administração de medicação injectável, clinicamente inadiável

# Estão suspensas as marcações de consultas

# À excepção das Consultas Programadas de Vigilância de Saúde Materna e Saúde Infantil até aos 18 meses de idade, não serão realizadas as consultas programadas de forma presencial. Alternativamente, e com os constrangimentos inerentes estas poderão ser realizadas telefonicamente ou adiadas para data a definir. Aos utentes que, não sendo grávidas nem crianças até aos 18meses, têm consultas agendadas nas próximas semanas, pede-se que não se dirijam à Unidade de Saúde. Serão todos contactados pela nossa equipa com as instruções sobre as vossas consultas.

# Durante o dia, não haverão consultas de Doença Aguda presenciais. Os utentes que tenham uma situação de Doença Aguda/“Urgência” poderão contactar a Unidade de Saúde telefonicamente das 8 às 19.30 horas, sendo o contacto encaminhado ao Médico, o qual por sua vez avaliará a situação e dará a orientação necessária. Se se tratar de uma situação de Emergência Médica deverão ligar 112.

# A Consulta Aberta decorrerá, presencialmente, das 20h às 22h durante a semana, e das 8h às 13h00 aos Sábados devendo ser ocupada só com situações urgentes. Os utentes que apresentem febre, tosse e/ou dispneia, não devem dirigir-se à Unidade. Devem aguardar em casa e contactar a Saúde 24 e depois seguir as suas orientações. No caso de não obterem resposta via telefónica da Saúde 24, poderão tentar o e-mail atendimento@sns24.gov.pt

# Os pedidos de receituário devem ser realizados via e-mail e serão enviados para o telemóvel

# As situações de renovação de baixa e de avaliação de INR devem ser colocadas via e-mail ou tefefone e serão orientadas

# Não serão emitidas nem renovadas credenciais de Fisioterapia, na medida em que estes contextos, ao não permitirem o distanciamento social que previne o contágio, constituem, neste momento, um risco.

Os utentes que estão dentro das situações em que é previsto deslocarem-se à Unidade de Saúde, deverão aguardar no exterior da Unidade, sendo chamados de forma faseada, por forma a evitar um número excessivo de pessoas nas salas de espera e garantir o distanciamento mínimo para a prevenção de contágio.

Só será autorizado 1 acompanhante por pessoa e apenas a pessoas dependentes ou menores de 18 anos.

Todas e quaisquer dúvidas ou questões deverão ser colocadas por e-mail ou telefone, usf.samoracr@arslvt.min-saude.pt e 263 650 900.

Temos consciência dos constrangimentos inerentes a estas medidas, mas a situação que atravessamos assim o obriga. Da nossa parte, faremos o nosso melhor, com o sacrifício necessário a todos, para vos prestar a melhor assistência possível com o menor risco e minorar os efeitos destas limitações, mas cientes de que este é o único caminho para proteger a TODOS e tentar evitar os relatos a que temos assistido de outros países.
No entanto, não o conseguiremos sozinhos, pelo que apelamos a todos pela vossa compreensão, ponderação do que é ou não prioritário e espírito de solidariedade e sacrifício para podermos sair desta situação o melhor possível e retornarmos à normalidade com brevidad
e”, terminando com um apelo para que as pessoas, “cumpram as recomendações de higiene e de distanciamento social.”