Concelhos de Mora e Coruche em seca severa. Ministério da Agricultura anuncia medidas de combate à seca

21 Novembro 2019, 14:13 Não Por Redacção

Apesar de nos últimos dias ter chovido com alguma intensidade, de acordo com os dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), relativos ao mês de Outubro, colocam os concelhos de Mora e Coruche em seca severa, face à pouca água armazenada nos solos.

De acordo com os dados do IPMA, e baseado no índice PDSI, que se baseia no conceito do balanço da água tendo em conta dados da quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo e permite detectar a ocorrência de períodos de seca classificando-os em termos de intensidade (fraca, moderada, severa e extrema), coloca os concelhos de Mora e Coruche classificados por seca severa, tendo mesmo sido detectados fracos níveis de concentração de água no solo, que de acordo com as análises do último mês se situam entre os 11 a 20%, havendo mesmo partes do território dos dois concelhos com concentrações de água mínimas, entre os 1 e 10%.

Também nos concelhos de Benavente e Salvaterra de Magos, que no último balanço do IPMA, realizado em Setembro, se encontravam em seca severa, foram agora classificados como territórios em seca moderada, ainda que existam parcelas de terreno que foram classificadas pelo IPMA como território em seca severa.

A nível nacional, a região sul do país, nomeadamente os distritos de Évora, Beja e Faro, a par do sul do distrito de Santarém, são aqueles que mais sofrem com a falta de água, havendo mesmo regiões do interior colocadas na situação de seca extrema.

Ministério da Agricultura anuncia medidas de combate à seca no sector agrícola

Face a estes dados, o Ministério da Agricultura aprovou uma série de medidas que permitem aos produtores agrícolas promover adaptações nas suas práticas à situação da seca, sem penalizações nos seus apoios comunitários, seja no âmbito dos pagamentos directos, seja nos pagamentos de superfície do PDR2020.

Assim o Ministério da Agricultura anuncia as seguintes medidas:

– Promover a interligação de barragens de maior capacidade de regularização com as de menores dimensões;

– Reforço da percentagem de adiantamento dos pagamentos directos aos agricultores para 70%;

– Apoiaram-se pequenos investimentos específicos nas explorações agrícolas, pelo PDR 2020, para assegurar o aveberamento de animais e a sobrevivência de culturas permanentes;

– Planeamento anual prévio das transferências do Alqueva para as albufeiras das bacias do Sado e Guadiana;

– Para uma melhor proteção das águas subterrâneas, o licenciamento para novas captações será feito mediante autorização. Será ainda efetuado um reforço da fiscalização;

– Avaliar a possibilidade de instalar pontos de água ou cisternas, associados a albufeiras de águas públicas, nas regiões onde se tem verificado maiores dificuldades em garantir o abeberamento de animais;

– Continuar a apoiar os agricultores na identificação de soluções eficientes para o abeberamento de animais, sem ser através de novas captações;

– Até que haja garantia dos volumes necessários para o abastecimento público, suspender a emissão de títulos de novas captações de água subterrânea para uso particular em algumas massas de água, onde os níveis são mais críticos. Será dada particular atenção aos projetos com operações já abertas no PDR2020.

– Promover a reutilização da água para uso urbano (ex: lavagem de ruas, rega de jardins), rega de campos de golfe e de culturas permanentes.