Dono de restaurante brutalmente agredido por seis homens após pedir contenção no comportamento a clientes

23 Junho 2020, 21:30 Não Por João Dinis

O dono da petisqueira e restaurante “Copos e Petiscos do Rebocho”, em Benavente, foi brutalmente agredido por seis homens de uma comunidade local, depois de ter pedido contenção aos filhos dos clientes que se encontravam no seu estabelecimento.

De acordo com Paulo Rebocho, proprietário do espaço, o caso aconteceu na tarde do passado sábado, 20 de Junho, quando um grupo de cerca de dez pessoas, três casais e alguns filhos destes, se encontrava no seu estabelecimento, tendo as agressões ocorrido depois de este ir reforçar um aviso dado pela sua esposa para que os mais jovens do grupo se mantivessem sentados, tendo até em conta das medidas agora impostas aos estabelecimentos de restauração com a Covid-19.

A situação ocorreu quando os filhos dos casais (com idades entre os 16 e os 18 anos) estavam a brincar pelo estabelecimentotendo a minha mulher pedido que eles se acalmassem e que não poderiam estar assim, uma vez que estavam a incomodar os outros clientes e a desrespeitar as regras…”, refere-nos Paulo Rebocho, que salienta que após o aviso os jovens se sentaram, mas que pouco tempo depois regressaram às brincadeiras pelo estabelecimento, sendo aí que Paulo Rebocho viria a solicitar novamente aos jovens que se acalmassem e que lhes terá dito que “para estarem a brincar assim vão para a rua…”, ao que o pai de um deles se levanta e responde em tom bastante agressivo, “estás a mandar os meus filhos para a rua?, anda lá tu para a rua comigo…”, ao que Paulo Rebocho nos conta que acedeu, sempre com o intuito de serenar os ânimos, e sobretudo, não incomodar os outros clientes que se encontravam no espaço.

Já no exterior do espaço os dois homens estavam a falar, com Paulo Rebocho sempre a tentar serenar os ânimos, quando sentiu os mais jovens a cercá-lo, “um dá-me um murro, ao qual me consegui desviar, mas quando me desvio, o que está por trás de mim puxa-me e à traição manda-me para o chão, onde me pontapearam”, conta-nos Paulo Rebocho, de 53 anos de idade, que se apresenta ainda bastante dorido e com a cara e um joelho bastante marcados pelas agressões.

Já no chão e depois de me terem dado sete ou oito pontapés, um colega meu que estava no estabelecimento mandou-se para cima de mim, com o intuito de me proteger…”, relata -nos Paulo Rebocho, que refere que “quando eles ouviram falar que se iria chamar a GNR colocaram-se de imediato em fuga…”,”a GNR ainda demorou uns vinte minutos a chegar, a patrulha de Benavente estava ocupada, e foi uma patrulha do posto da GNR de Marinhais que veio aqui, mas quando chegou já os agressores tinham fugido”, conclui o proprietário do estabelecimento.

Paulo Rebocho relata ainda que os clientes, agora agressores, chegaram por volta das 15.30 horas, e tirando uma ou outra artimanha de modo a terem uma ou outra cerveja grátis, tudo estava a correr bem, sendo que a situação se precipitou quando os proprietários do estabelecimento pediram aos clientes que se contivessem um pouco, para respeitar os outros clientes que estavam no espaço, bem como as novas regras agora impostas pela pandemia da Covid-19.

O proprietário do estabelecimento, que se deslocou ao Centro de Saúde de Benavente onde recebeu alguns cuidados médicos, sendo depois encaminhado para o Hospital de Vila Franca de Xira, onde foi também observado por um médico do Instituto de Medicina Legal, apenas apresentou queixa das brutais agressões que foi alvo esta segunda-feira, diz-nos “depois de ponderar e de ouvir familiares e amigos”, mas também por entender que, “estas pessoas não podem passar impunes, é preciso que tomemos atitudes para que se saibam integrar na sociedade e sobretudo sintam que não passam impunes”, pedindo também maior atenção por parte das autoridades do concelho para que situações destas não se repitam.

De acordo com fonte da Guarda Nacional Republicana, os agressores, membros de uma comunidade local, foram já identificados, seguindo agora o processo os trâmites legais no Tribunal de Comarca de Benavente.

____________________________________________________________