“Esperamos um Mês da Enguia superior aos anos anteriores”, afirma Hélder Esménio Presidente da Câmara de Salvaterra de Magos

19 Fevereiro 2020, 14:58 Não Por João Dinis

Hélder Esménio, Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, foi o anfitrião da apresentação do Mês da Enguia, que decorrerá em Salvaterra de Magos entre os dias 28 de Fevereiro e 31 de Maio e nesse sentido, abordou o tema ao Notícias do Sorraia, começando por salientar que “esperamos que haja enguia, aliás, a expectativa é que possam continuar os nossos restaurantes, neste caso vinte, que é um número muito simpático, o número máximo que alguma vez tivemos no mês da enguia, possam continuar a oferecer aos seus clientes o melhor produto, não só em termos de matéria-prima, que é a enguia, mas também depois na qualidade de receber, de confeccionar e temos a expectativa, não há nenhum feedback negativo nesse sentido de que não possamos ter um Mês da Enguia ao nível ou até, porque não, superior aos anos anteriores”, elevando assim a fasquia e dando uma maior responsabilidade aos chefes das cozinhas dos restaurantes aderentes.

Este evento gastronómico tem crescido de ano para ano, colocando a comunidade salvaterrense a trabalhar em prol do seu concelho, facto que o autarca destaca igualmente, “estamos há vinte e três anos neste projecto, esta é a vigésima quarta edição e estamos convencidos de que vai ser possível continuar por muitos mais anos, esta iniciativa municipal, que tem o carinho não só dos restaurantes, mas também da economia local, dos alojamentos, dos produtores de vinho, quer também dos artesões e produtores locais, das nossas associações, é um projecto da comunidade de Salvaterra de Magos, que abraça este projecto municipal, que felizmente tem trazido milhares e milhares de visitantes ao concelho de Salvaterra de Magos.”

Sobre o cartaz lúdico e cultural, Hélder Esménio deixou alguns dos destaques, referindo sempre o apoio fundamental das associações culturais e desportivas do concelho, que muito contribuem para o sucesso da iniciativa, “nós no meio deste Mês da Enguia contamos muito com a actividade também e o abraço, digamos assim, das associações do concelho, e nessa medida vamos ter também diversas actividades  quer culturais, todos os ranchos folclóricos, as duas bandas, vamos também ter a nível desportivo não só um campeonato nacional de motocross, que vai acontecer no Granho, vamos ter na Barragem de Magos canoagem e btt, os 12 quilómetros de Salvaterra e uma caminhada, em termos culturais e desportivos as nossas associações contribuem e de que maneira para a promoção do Mês da Enguia.”

Outro dos eventos que decorre em paralelo com o Mês da Enguia e que se tem revelado um sucesso ano após ano é a Feira Nacional de Artesanato, facto que o Presidente do Município revela ser, “outro palco que temos para aqueles que nos visitam, porque a ideia é fazer com que o Mês da Enguia traga milhares de visitantes, que para além da componente gastronómica eles possam ficar um ou dois dias, e tenham oportunidade de conhecer a nossa cultura, conhecer o nosso património histórico-cultural, o nosso património natural, visitar as exposições que vamos ter na Falcoaria Real, no Escaroupim, na Biblioteca, no Mercado de Cultura de Marinhais, e esperar que eles tenham um dia, uma tarde muito agradável no nosso concelho”, deixando ainda o convite a todos, revelando alguns dos pontos altos dos eventos ali a realizar, “na Feira Nacional de Artesanato vamos ter alguns espectáculos musicais, nomeadamente alguns de artistas reconhecidos e conhecidos, Lucas e Matheus, Mónica Sintra, entre outros, stand-up comedy com o Francisco Menezes, esta feira que conseguiu atinguir a dimensão nacional, porque começou por ser uma feira de dimensão, local e depois regional e agora nacional, conseguiu o apoio do Instituto de Emprego e Formação Profissional, o que é importante para nós e ao mesmo tempo traz-nos artesãos e produtores locais do país, da Madeira, dos Açores… ahco que é uma feira que vai ter quase uma centena de expositores e quero acreditar que vai continuar a ser o palco preferencial do Mês da Enguia.”

Questionado sobre se o turismo e a cultura são hoje em dia uma aposta de retorno seguro, Hélder Esménio, diz acreditar que sim, mas que além dessa aposta a missão da autarquia vai muito para lá disso, “tem sido nestes seis anos que levamos de mandato a principal aposta, obviamente que temos que apostar na cultura, na educação, na mobilidade urbano, no ambiente, há um conjunto de obrigações legais e de competências que os municípios tem que assumir, onde muitas vezes fazemos a diferença é ai, saber em que medida podemos ou não ser diferentes de outros e essa diferença resulta muito de podemos ter produtos turísticos, termos produtos que divulguem aquilo que é verdadeiramente diferenciador dos outros concelhos e é onde nós podemos ganhar algumas posições é através da proximidade ao rio Tejo, que é comum a alguns concelhos da Lezíria, mas não são muitos em relação ao todo nacional, por outro lado é a Falcoaria que é Património Imaterial da Humanidade, nós temos o ex-libris dessa arte de caça em Portugal, que é a nossa falcoaria, e depois temos a felicidade de ter tido a inteligência de ao longo de 23 anos manter, dinamizar e dar expressão ao Mês da Enguia, não só termos locais, mas também regionais e sobretudo nacionais”, afirmando ainda que a diferenciação dos produtos turísticos que Salvaterra de Magos pode oferecer, “é que fazem com que as pessoas venham até Salvaterra de Magos, ainda mais beneficiando com a proximidade à área metropolitana de Lisboa, onde temos, como sabemos, alguns milhões de pessoas, que procuram e precisam de ao fim-de-semana distrair.”

Temos criado ao longo deste projecto um conjunto de criar necessidades nas pessoas para que elas venham até cá, tem sido além da falcoaria e do Mês da Enguia, tem sido importante o projecto do Escaroupim, que felizmente ficamos a saber que fará parte de um roteiro que está a ser feito pela Entidade de Turismo, da cultura avieira, e também tem sido determinante o enfoque que temos metido em outras actividades lúdico-culturais, como as jornadas de cultura, feira de Magos e isso tem de facto contribuído para que o concelho de Salvaterra de Magos seja mais reconhecido e conhecido pelo esforço que faz para a dinamização e divulgação do património cultural”, concluiu o autarca, deixando ainda um convite a todos para visitarem Salvaterra e degustar o melhor da sua gastronomia.