GNR forma primeiros Guardas Florestais

24 Outubro 2019, 14:56 Não Por Redacção

A Guarda Nacional Republicana (GNR), através da Escola da Guarda, deu início, no passado dia 21 de Outubro, ao 1.º Curso de Formação de Guardas Florestais, destinado a 164 novos elementos, entre os quais, 11 mulheres, visando o reforço do dispositivo do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR que conta, neste momento, com 281 Guardas Florestais ao serviço.

Constituindo a proteção da floresta um objetivo estratégico para o país, e enquadrado na opção política que define como ação de caráter prioritário o reforço e estruturação dos processos de prevenção, vigilância e de apoio ao combate aos fogos florestais, foi autorizada pela Resolução de Conselho de Ministros n.º 11-A/2918 que a Guarda procedesse ao recrutamento externo de efetivos para reforço das equipas de guardas florestais’, afirma fonte da Guarda Nacional Republicana, esclarecendo que as funções exercidas pelos Guardas Florestais são, ‘funções em matérias que por lei lhes atribui a qualidade de órgãos de polícia criminal, desenvolvendo missões que concorrem para a prossecução do serviço da GNR, em prol da proteção do ambiente, da conservação da natureza e biodiversidade, da riqueza cinegética, piscícola e florestal’, salientado que os Guardas Florestais integram agora o SEPNA da GNR, ‘através do Decreto-Lei n.º 22/2006, de 2 de Fevereiro, procedeu-se à consolidação institucional do SEPNA na GNR, transferindo para esta força de segurança o pessoal do Corpo Nacional da Guarda-Florestal, sendo os mesmos integrados no quadro de pessoal civil da GNR, contribuindo, desta forma, para o reforço da capacidade de vigilância e fiscalização do território nacional, no que a estas matérias diz respeito.’

Este primeiro curso de Formação de Guardas Florestais, terá um total de 836 horas, das quais 286 em contexto de trabalho, versa matérias como a silvicultura, a caça e pesca, o armamento e tiro e a investigação de causa de incêndios.


Fotografia: Direitos Reservados