Mora uniu-se e protege os seus cidadãos com máscaras solidárias

Mora uniu-se e protege os seus cidadãos com máscaras solidárias

1 Maio 2020, 22:35 Não Por João Dinis

Um grupo composto por cerca de quinze pessoas, que envolve três jovens que coordenam o projecto, várias costureiras do concelho e a Junta de Freguesia de Mora, tem produzido dezenas de máscaras, com o claro objectivo de proteger os seus conterrâneos, numa localidade marcadamente rural, onde é muitas vezes difícil ter acesso aos materiais de protecção, essenciais para a disseminação da pandemia do covid-19.

Até ao dia de hoje já foram produzidas cerca de 250 máscaras, sendo que a maioria já se encontra distribuída e a servir a população, isto em cerca de duas semanas, o que deixa todos os envolvidos no projecto bastante satisfeitos, por estarem a conseguir proteger a população, auxiliando assim a que Mora continue fora dos números do Covid-19, onde não se registam casos suspeitos ou positivos.

Jéssica Santos, uma das dinamizadoras do projecto “Faz a Diferança , Protege-nos!”

De acordo com Jéssica Santos, uma jovem natural de Mora e uma das dinamizadoras do projecto “Faz a Diferança , Protege-nos!”,”a ideia surgiu em conjunto com outras três amigas, quando não havia máscaras para a população, especialmente para populações rurais e mais desfavorecidas, e então pensamos fazer um grupo no Facebook, onde pudéssemos divulgar a ideia e onde algumas pessoas pudessem dizer a necessidade dos seus concelhos”, facto que foi prontamente acolhido por inúmeras pessoas, “tivemos bastantes costureiras a contactarem-nos, a dizerem que estavam que estavam disponíveis para costurar de forma gratuita para as suas populações”, sendo que as três jovens que dinamizam o projecto “apenas” fazem a ponte entre as costureiras e os apoios que vão angariando, neste caso a Junta de Freguesia de Mora, sendo que trabalham também com outras Câmaras Municipais e outras entidades, com a finalidade destas comparticiparem os materiais (tecidos e elásticos), e assim construir máscaras para as populações, que além de mais desfavorecidas, não têm ao dispor máscaras para que possam adquirir.

A iniciativa que teve início noutros concelhos de Portugal, nomeadamente Chaves, Peniche, Leiria, Pombal e Évora, tendo agora chegado a Mora, onde disponibilizaram os moldes às costureiras, que têm feito um trabalho extraordinário, em parceria com a Junta de Freguesia que efectua a distribuição.

Apesar das pessoas estarem bastante pró-activas na elaboração das máscaras, de acordo com Jéssica Santos, a maior dificuldade tem sido conseguir adquirir os materiais e apoio de algumas entidades, que não se mostraram ainda a cem por cento com o projecto solidário.

Três das costureiras com quem falamos, Balbina Relvas, Idália Rosado e Margarida Lamarosa, salientaram que desde que viram a iniciativa no Facebook, se mostraram interessadas no projecto, sobretudo por poderem ajudar a comunidade, onde conhecem todas as pessoas.
Balbina Relvas, proprietária da retrosaria de Mora, salientou-nos ainda que acabou por numa altura muito difícil fazer algum negócio com a venda dos materiais à Junta de Freguesia, ainda que também ela tenha sido solidária nesta altura, conseguindo fazer um preço bastante mais baixo.

Balbina Relvas

Para as costureiras esta é também uma forma de “passar o tempo”, evitando assim o aborrecimento do isolamento social, ainda por cima a realizar uma actividade que gostam, a costura, podendo ajudar os seus conterrâneos.

“O nosso objectivo é permitir que todos tenham acesso a uma máscara…” refere Marco Calhau, Presidente da Junta de Freguesia de Mora

Desde o primeiro momento a Junta de Freguesia de Mora entendeu que esta era uma iniciativa interessante e poderia ser de facto uma mais-valia para a sua população.

O facto de duas das três jovens que deram início a esta iniciativa, serem de Mora e existir alguma proximidade, mereceu desde logo a nossa atenção”, refere Marco Calhau, que prossegue, “claro que tivemos que perceber o projecto e em que consistia realmente, mas de forma alguma imaginamos que iria ter tao boa receptividade e que conseguíramos ter até muitas pessoas a colaborar com a iniciativa que não imaginamos que poderia ter esta adesão.”

Marco Calhau – Presidente da Junta de Freguesia de Mora

Com o claro objectivo de permitir que toda a gente pudesse ter acesso a uma máscara, de modo a proteger-se e proteger os outros, Marco Calhau começa por nos referir que começaram por limitar o acesso a uma máscara por agregado familiar, sobretudo porque se encontravam numa altura em que a saída das pessoas à rua se encontrava bastante limitado, “mas vamos começar agora a distribuir por todas as pessoas, e o objectivo é mesmo que todas as pessoas tenham uma máscara para proteger o próximo, estas máscaras servem essencialmente para proteger as outras pessoas”, com o objectivo de consegui proteger os seus fregueses do vírus.

A participação da Junta de Freguesia de Mora no projecto cinge-se essencialmente em dois aspectos, a aquisição e disponibilização de materiais às costureiras, e a distribuição das máscaras, que conta ainda com o apoio da Paróquia de Mora, que através um de programa que o Padre Nelson Fernandes têm com a comunidade jovem do concelho também realizou algumas distribuições.

A Junta de Freguesia assume aquilo que são as suas funções, que é a preocupação com a população, a dinamização da economia local, através de um pequeno contributo pela compra dos tecidos na nossa região, mas também a garantir alguma protecção aos nossos cidadãos”, refere-nos o Presidente, que destaca ainda o trabalho das costureiras e das dinamizadoras do projecto que “demonstram um acto de solidariedade e altrurismo ao melhor de cada uma das pessoas”.

Marco Calhau refere-nos que “a população está naturalmente apreensiva, esta é uma situação nova, que nos preocupa a todos, que nos deixa a todos com muitas dúvidas e principalmente as pessoas nos meios rurais, que muitas vezes acabam por ter menos informação, aqui não é toda a gente que tem acesso a redes sociais… vê as notícias, mas já não se pode ouvir falar em covid-19, neste momento quando começam as notícias mudam de canal, há muita gente a fazer isso e então existe naturalmente preocupação”, ainda que para o Presidente da Junta de Mora, que é também bombeiro na corporação local, “a população tem reagido de uma forma bastante correcta, existe principalmente distanciamento social, porque as máscaras até agora são difíceis de conseguir, só mesmo que se desloca ao hospital é que traz uma máscara cirúrgica que lhe deram lá, mas também é de utilização única, mas o isolamento social e a etiqueta respiratória tem sido aplicado e a população tem estado a ter um contributo enorme para a não disseminação do vírus”, concluindo que “felizmente temos sido bafejados pela sorte e não temos tido muitos contactos com o vírus, e dessa forma todos os cuidados acabam por fazer sentido”.

Para conseguir máscara para se proteger a si e os seus, basta contactar a Junta de Freguesia de Mora, pelo telefone, 266 403 295 ou 935 390 722, pela página da rede social Facebook da Junta de Freguesia de Mora, ou ainda pelo e-mail, geral@jf-mora.pt.