Município de Coruche defende que “em Coruche será sempre e em qualquer circunstância impossível restringir, ou sequer, censurar, o acesso à cultura tauromáquica”

Município de Coruche defende que “em Coruche será sempre e em qualquer circunstância impossível restringir, ou sequer, censurar, o acesso à cultura tauromáquica”

17 Novembro 2020, 16:32 Não Por Redacção

O Município de Coruche, mantendo a sua linha de apoio à Cultura Tauromáquica, afirmou esta terça-feira, que “em Coruche será sempre e em qualquer circunstância impossível restringir, ou sequer, censurar, o acesso à cultura tauromáquica”, em nota de imprensa, onde condena também as tentativas de boicote à arte levadas a cabo nos últimos tempos por grupos que se consideram apoiantes dos animais, nomeadamente o Bloco de Esquerda e PAN, que apresentaram na Assembleia da República iniciativas para retirar os menores da tauromaquia, na assistência ou participação, ou retirar a Denominação de Origem Protegida da Carne de Touro Bravo.

O município refere que “a Cultura Tauromáquica é reconhecida pela Constituição Portuguesa, o que confere à tauromaquia um estatuto que jamais lhe poderá ser sonegado”, pelo que “o livre e igual acesso às artes e à cultura dever ser assegurado em igual medida a todos os cidadãos, salvaguardando que o direito de acesso às atividades culturais se efetua em iguais condições para todos os portugueses, sem exceção.”

Em Coruche será sempre e em qualquer circunstância impossível restringir, ou sequer, censurar, o acesso à cultura tauromáquica”, afirma convictamente a autarquia, referindo que “esta é uma arte indissociável do nosso povo, das nossas gentes. O papel da família na defesa e fomentação desta cultura, deveria até servir de exemplo para a continuidade e fortalecimento cultural em outras áreas”, salientando que “são poucos os espetáculos culturais que conseguem juntar quatro gerações na plateia: Bisavós, Avós, Pais, Netos e Bisnetos!

O Município de Coruche garante ainda que continuará a apoiar a tauromaquia, continuando na primeira linha de defesa da Cultura Tauromáquica, “continuaremos a dinamizar o nosso Núcleo Museológico da Tauromaquia, através do nosso Museu Municipal, a homenagear os nossos conterrâneos, figuras distintas nesta arte – como já acontece, no memorial à aficcion coruchense, no Parque do Sorraia, a apoiar o nosso Grupo de Forcados Amadores de Coruche, a congratularmos-nos com os êxitos das dezenas de Ganadarias existentes, no nosso concelho, a sentir orgulho nos triunfos dos cavaleiros e toureiros, do nosso concelho e a estimular e a apoiar as inúmeras Tertúlias existentes, no nosso concelho.”

Deste modo, a Câmara Municipal de Coruche, cujo seu Presidente, Francisco Oliveira é também o presidente da Secção de Municípios com Actividade Taurina da Associação Nacional de Municípios Portugueses, refere que “iremos estar extremamente atentos a todos os ataques, mais explícitos ou encapotados, que visem negligenciar a cultura tauromáquica nacional”. “Manifestamos a nossa firme intenção de garantir o respeito pelos direitos e liberdades das crianças e dos seus pais, pugnando pela manutenção da classificação etária da tauromaquia de M/12.”

A Cultura Tauromáquica, é uma Festa que ultrapassa as trincheiras de uma arena e que estará sempre presente, nos lares coruchenses, onde nunca será proibido partilhar cultura com os mais novos!”, concluem.