PSP retira 145 armas do mercado do tráfico de armas

PSP retira 145 armas do mercado do tráfico de armas

12 Julho 2019, 13:15 Não Por João Dinis

A Polícia de Segurança Pública (PSP), através do seu Departamento de Armas e Explosivos, no decorrer do 11 de Julho executou a Operação “FLOBERT”, que resultou na retirada de 145 armas do mercado do tráfico de armas. 

Esta acção foi o resultado de 12 meses de investigação e visou o cumprimento de 7 mandados de busca e apreensão no distrito de Lisboa promovidos pelo Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, sendo desenvolvida em coordenação e colaboração com o Departamento de Investigação Criminal bem como o Comando Metropolitano de Lisboa, ambos da PSP, com base numa investigação relacionada com tráfico internacional, mediação e transformação de armas de fogo, resultado de uma acção complexa de pesquisa, análise e produção de informação policial através dos diferentes mecanismos de partilha de informação, nacionais e internacionais, relacionada com a venda e posse ilícita de armas de fogo em Portugal e Europa. 

Desta operação, resultou a detenção em flagrante delito de 2  indivíduos que se dedicavam à aquisição, transformação e venda ilícita de armas de fogo, sendo possível apreender 145 armas, centenas de munições, bem como outro material relacionado com esta actividade ilegal, onde se destaca o seguinte:

•         67 armas de alarme de diversas marcas e calibres;

•         22 armas de fogo de diversas marcas e calibres;

•         8 revólveres de diversas marcas e calibres;

•         6 armas de fogo longas;

•         4 armas de fogo curtas em forma de caneta;

•         12 silenciadores;

•         5 aerossóis;

•         1 arma branca de abertura automática;

•         Dezenas de carregadores para pistola;

•         Numerário em notas do Banco da Ucrânia;

•         Centenas de munições de calibre variado; e

•         33 armas de ar comprimido de calibre 4,5mm de vários modelos.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial, no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, para efeitos de eventual aplicação de medidas de coação.

Fotografia: Direitos Reservados