Raspadinha premeia apostador com 288 mil euros em Coruche

4 Fevereiro 2020, 19:59 Não Por João Dinis

Quando Carlos Oliveira, proprietário da tabacaria e papelaria Castelo da Sorte, localizada no Pingo Doce de Coruche, passou na máquina uma raspadinha da série “Super Pé-de-Meia”, com o valor de 5 euros, entregue por um cliente, que enquanto raspava apenas comentou, “estava a ver que não, andava à tanto tempo à tua espera…”, nem queria acreditar que o seu cliente havia ganho 288 mil euros, o maior prémio desta série de raspadinhas, dada toda a tranquilidade que este apresentou.

Quando o cliente me entregou a raspadinha nem me apercebi, pensei que seria um prémio mais pequeno…”, afirma o empresário, que só tomou percepção do prémio que havia vendido quando a máquina deu o alerta que o cliente teria que se deslocar aos serviços da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para receber o seu prémio, facto que acontece com prémios de valor superior a cinco mil euros.

Diz-nos Carlos Oliveira, que após alguns minutos, o cliente começou então a ter a percepção do prémio que tinha, notando-se depois algum nervosismo, passado que estava o “choque inicial”, com o apostador a fazer então as típicas questões de como ia reclamar o seu prémio, saído do estabelecimento bastante animado.

O cliente sortudo jogou a sua sorte na tarde desta segunda-feira, 3 de Fevereiro, e segundo o mediador dos jogos Santa Casa, que possui também um estabelecimento em Marinhais, é um apostador regular, do concelho de Coruche, que vai receber agora 2.000 euros mensais (1.600 após imposto), durante 12 anos, o que totaliza os 288 mil euros, aos quais há que deduzir o imposto de vinte por cento, 230.400 euros líquidos no final dos 12 anos.

Embora os dois estabelecimentos de Carlos Oliveira, em Coruche e Marinhais, tenham já dado alguns prémios de registo, este foi o maior prémio entregue pelo empresário no jogo das “Raspadinhas” da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.