Rio Sorraia vai ser vigiado por guarda-rios

7 Fevereiro 2020, 11:01 Não Por João Dinis

O projecto de limpeza e acompanhamento do Rio Sorraia, que está a ser desenvolvido pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), em parceria com as Câmaras Municipais de Mora, Coruche e Benavente e as associações de regantes e beneficiários do rio, irá estar concluído em breve.

O projecto foi abordado esta semana pelos autarcas de Benavente e Coruche, sendo que ambos são unânimes em considerar que o rio se encontra agora bastante melhor do que em meses anteriores, ainda que exista muito trabalho por fazer, na limpeza não só dos jacintos de água, mas de outras pragas que populam no rio, como a erva-pinheira, e as margens, que necessitam de uma grande limpeza, nomeadamente nas copas das árvores e vegetação das margens, onde os jacintos se podem ancorar, propagando assim a praga.

Para Carlos Coutinho, Presidente da Câmara de Benavente, considera mesmo este um “projecto modelo para o país, que pode vir a ser implementado noutros cursos de água em Portugal”.

Francisco Oliveira, Presidente do Município de Coruche, revelou que houve uma reunião com a APA, autarquias, Instituto de Conservação da Natureza e Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia, para apresentação do esboço do plano de acção, que irá assentar sobretudo na limpeza contínua e preventiva, tentando evitar que as pragas se possam propagar, atingindo proporções semelhantes às de 2019.

As brigadas de sapadores florestais da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), irão ter um papel fundamental neste plano, ao desenvolverem actividades de “guarda-rios”, realizando a limpeza do rio, por terra ou numa embarcação, bem como acções preventivas ao longo de todo o curso do Sorraia.

Vão ser ainda colocadas ao longo do curso do rio, zonas de ancoração, que pode passar por uma corda forte que atravesse o rio, de modo a que os jacintos que possam estar presentes no leito do rio, venham a ser ancorados, podendo posteriormente ser recolhidos.

Estas acções vão contar com a supervisão da APA, que será a entidade responsável pelo plano de trabalho a desenvolver no rio Sorraia, bem como aquela que até aqui suportou grande parte dos encargos financeiros da limpeza da praga de jacintos de água.